• Marco Túlio Gazzola

Arte e Destruição Ambiental: arte como instrumento de denúncia da ação do homem

Há cerca de 60 anos os especialistas alertam para os impactos das ações do homem sobre o meio ambiente. Em 1962, por exemplo, a cientista e escritora Rachel Carson publicou o livro Primavera Silenciosa, alertando sobre as consequências do uso de pesticidas químicos sintéticos para o meio ambiente e para a saúde humana.

Dez anos depois, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, também conhecida como Conferência de Estocolmo, foi um marco para a evolução desse tema na agenda internacional.

Hoje, passados tantos anos, tantas conferências, ainda continuamos enfrentando o mesmo desafio: frear o consumismo, a degradação ambiental, tornar realidade uma agenda de desenvolvimento sustentável. Cientistas e diversos outros profissionais tentaram, e ainda tentam, nos mostrar o perigo de aproximarmos do ponto de não retorno.

Apresentamos aqui alguns artistas que vem obtendo muito sucesso nessa tarefa de nos alertar para a degradação ambiental.


POLUIÇÃO DOS MARES E OCEANOS


Mandy Barker


EVERY... Snowflake Is Different

Direitos de Imagem: Mandy Barker

Fonte: https://www.mandy-barker.com/every-2


Mandy Barker é uma fotógrafa britânica reconhecida internacionalmente por seus trabalhos envolvendo detritos plásticos e os danos causados ao ambiente marinho.

Em 2019, a fotógrafa participou da “Expedição de Poluição Plástica da Ilha Henderson", uma das poucas a receber o selo de “Expedição de Bandeira” atribuída pelo centenário e seleto The Explorers Club (Clube dos Exploradores).

É possível conhecer melhor seu trabalho nos seguintes endereços

https://www.mandy-barker.com/

@mandybarkerphotografy (Instagram)


DESMATAMENTO


Iain Woodhouse


A Carroça de Feno, de John Constable e a versão de Woodhouse, sem as árvores

Direitos de Imagem: Domínio Público e Iain Woodhouse, respectivamente

Fonte: https://www.pressreader.com/brazil/folha-de-s-paulo/20131111/283046937243162


O professor e pesquisador Iain Woodhouse, da Universidade de Edimburgo, propôs uma maneira inovadora para chamar a atenção para o desmatamento: retirou as árvores que estavam presentes nas telas originais de obras famosas de Vincent Van Gogh, John Constable e Georges Seurat. Veja uma das versões em: https://forestplanet.wordpress.com/2016/05/04/still-imagining-a-world-without-trees/


DEGRADAÇÕES DIVERSAS


J. HENRY FAIR:



Direitos de Imagem: J. Henry Fair

Fonte: https://twitter.com/jhenryfair/status/1155858951877144577


O fotógrafo e ativista ecológico J.Henry Fair dedica-se, por meio de fotografias aéreas, a revelar os danos causados ao meio ambiente pela ação humana. De grande impacto, as imagens seriam ainda mais belas se não fosse pelo fato de que demonstram a dimensão dos problemas ambientais causados, como por exemplo, um vazamento de petróleo ou o despejo de resíduos químicos em um rio.

Seus trabalhos renderam diversas exibições e a publicação de, pelo menos, três livros reunindo imagens dessa temática, que são: Industrial Scars: The Hidden Costs of Consumption; On The Edge: Combahee to Winyah; e Human Nature: Über den Zustand unserer Erde (com outros vários artistas)

A reflexão produzida por seu trabalho é muito clara: a urgência de mais consciência acerca dos efeitos devastadores que nosso modelo de consumo acarreta.



Referências


https://brasil.un.org/pt-br/91223-onu-e-o-meio-ambiente

https://www.hypeness.com.br/2018/04/fotografa-premiada-denuncia-a-poluicao-nas-praias-e-oceanos-com-arte/

https://www.google.com/amp/s/www.natgeo.pt/fotografia/2019/10/mandy-bar

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2011/11/111106_poluicao_vista_aerea_galeria_fn

https://ciclovivo.com.br/vida-sustentavel/bem-estar/pesquisador-britanico-cria-versoes-desmatadas-de-pinturas-famosas

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo