• Marco Túlio Gazzola

Athos Bulcão - Multiplicidade Criativa e sem Vaidades


Athos Bulcão

Fonte:https://pt.wikipedia.org/wiki/Athos_Bulc%C3%A3o#/media/Ficheiro:Athos_bulcao_painel_sede.jpg


Nascimento, infância e juventude

Athos Bulcão nasceu em 2 de julho de 1918, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), mas viveu sua infância em Teresópolis. Posteriormente entra na faculdade de medicina, mas não chega a concluir os estudos.(1)

Aos 21 anos de idade, ao ler a obra "Cartas a Um Jovem Poeta" adquire a coragem que lhe faltava decidindo abandonar a faculdade de medicina para se dedicar a pintura(2). Na década de 1940 torna-se amigo do escritor Murilo Mendes, que o apresenta ao casal Vieira da Silva e Arpad Szenes.(3) Szenes foi um pintor, gravador, ilustrador, desenhista e professor húngaro que, casado com a pintora portuguesa Vieira da Silva, transfere-se para o Rio de Janeiro fugindo do nazismo. Nessa cidade monta um ateliê no Hotel Internacional, reduto de artistas.(4) É a partir daí que o ciclo de amizades de Athos amplia contribuindo de maneira decisiva para o futuro de sua carreira artística.(5)

O início da carreira

Conhece Oscar Niemeyer, que lhe encomenda o projeto para os azulejos externos do Teatro Municipal de Belo Horizonte (não realizado); torna-se assistente de Candido Portinari (na construção do painel de São Francisco de Assis, na Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte). Em seguida, estagia no ateliê de Portinari.(6) Em 1948 vai para a França realizar cursos de desenho na Académie de La Grande Chaumière e de litografia no ateliê de Jean Pons (1913-2005).(7)

Na década de 1950, de volta ao Brasil, ingressa no Ministério da Educação e Cultura (MEC), mais precisamente no Serviço de Documentação, onde realiza ilustração de catálogos e livros sob orientação de Simeão Leal. Desenha capas e faz ilustrações para muitos livros, dentre eles "A Descoberta do Outro", de Gustavo Corção, "O Encontro Marcado" e "A Cidade Vazia", de Fernando Sabino. Desenha o cenário de "O Coração Delator", adaptação teatral de Lúcio Cardoso para o conto de Edgar Allan Poe. E ainda Realiza suas primeiras fotomontagens, como por exemplo, a do painel no Clube de Engenharia, no Rio de Janeiro. (8)


A colaboração com Oscar Niemeyer e a transferência para Brasília

É nesses anos 50 que inicia uma efetiva colaboração com Oscar Niemeyer, em especial no Hospital Sul América (atual Hospital da Lagoa) no Rio de Janeiro. Trabalha também desenhando capas de discos (produzidos por Irineu Garcia) e capas para as revistas Brasil Arquitetura Contemporânea, e Módulo de Arquitetura. (8)

Em 1957, a convite de Oscar Niemeyer, é requisitado do MEC para a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Assim, começa sua história com Brasília. Transferindo-se para lá trabalha na realização dos azulejos da Igrejinha de N. S. de Fátima e do Brasília Palace Hotel. Em 1959, realiza a pintura do teto da Capela do Palácio da Alvorada e o painel de pintura do Brasília Palace Hotel.(8)


Os anos 60 e os trabalhos com Lelé

Na década de 1960 realiza os primeiros trabalhos em projetos do arquiteto João Filgueiras Lima, o Lelé, com quem iria executar muitos projetos. Projeta o relevo externo do Teatro Nacional Claudio Santoro e constrói o painel de azulejos da Torre de TV de Brasília. Nesses anos atua também como professor. Darcy Ribeiro convida-o para lecionar no Instituto Central de Artes da Universidade de Brasília.(8)

Em 1969 recebe do órgão supremo do Instituto de Arquitetos do Brasil, o Conselho Superior do (IAB), o título de sócio benemérito, pelo “alto nível de seu trabalho de integração das artes com a arquitetura”.(8)


Athos Bulcão além das fronteiras nacionais

A década de 1970 é marcada pelos trabalhos no exterior. Viaja a Paris, a convite de Niemyer, com quem trabalha em projetos na França, Itália e Argélia. Intensifica também sua colaboração com o arquiteto João Filgueira Lima, trabalhando em inúmeros projetos para o Hospital Sarah Kubitschek. (8)

No final da década de 1980 é reintegrado à Universidade de Brasília pela Lei da Anistia, pela qual trabalha até 1990, ano em que recebe aposentadoria compulsória. (8) Em 1989 é condecorado, pelo governo brasileiro, com a Ordem de Rio Branco. No ano seguinte recebe do governo de Distrito Federal, a Medalha Mérito da Alvorada, por sua contribuição para a consolidação de Brasília.


A década de 1990 e o reconhecimento

Em 1991, recebe outra homenagem, agora da Associação Brasileira dos Pesquisadores em Artes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Em 1996, recebe a Ordem do Mérito Cultural e também o Diploma de Reconhecimento do Instituto dos Arquitetos do Brasil, departamento do Distrito Federal, por sua obra em prol da arquitetura nacional. No ano seguinte, recebe o título de Cidadão Honorário de Brasília. Em 1999, a Universidade de Brasília concede-lhe o título de Doutor Honoris Causa e, o governo brasileiro, condecora-o como Comendador da Ordem de Rio Branco(8), uma condecoração instituída em 1963 que tem por objetivo de, ao distinguir serviços meritórios e virtudes cívicas, estimular a prática de ações e feitos dignos de honrosa menção.

Mas a década de 1990 não é somente de títulos e honrarias para o nosso célebre compositor de espaços. Nesses anos é diagnosticado com Mal de Parkinson e inicia o tratamento no Hospital Sarah Kubitschek.(8)


Os anos 2000

Em 2002 realiza novas produções. Projeta a segunda etapa do Aeroporto Internacional de Brasília, realiza o painel em madeira laqueada da Biblioteca do Ministério da Saúde, em Brasília e também o painel decorativo para o saguão de entrada do Edifício Libertas, em Brasília.(8)

Em 2004 e 2006 recebe novos títulos. Do Governo do Distrito Federal recebe, em 2004, o título de Embaixador de Brasília, em reconhecimento ao relevante papel na promoção dessa cidade. Em 2006, o governo brasileiro promove-o a Grande Oficial da Ordem de Rio Branco. No dia 31 de julho de 2008 falece após uma parada cardiorrespiratória, aos 90 anos.(8)

Logo após sua morte, ainda em 2008, Athos foi condecorado, pela segunda vez, com a Ordem do Mérito Cultural (14ª edição). Mas o reconhecimento da obra do artista não parou por aí. No ano seguinte é inserido como conteúdo obrigatório da disciplina de artes, conforme Orientações Curriculares da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal para o Ensino Fundamental – Séries e Anos Iniciais. (8)


Homenagens

Em 2009 ocorre a primeira exposição em sua homenagem in memorian. O Museu Nacional do Conjunto Cultural da República realizou a exposição Athos Bulcão – Compositor de Espaços.(8)

Em 2016, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, Athos foi homenageado durante a tradicional contagem regressiva. A cada segundo da contagem, voluntários formavam obras conhecidas do artista plástico.(9) Dois anos depois, ganhou homenagem do Congresso Nacional, pela passagem de cem anos de nascimento e também do Google (um Doodle interativo exibido em 02.07.2018)(10) e torna-se tema do livro infantil Athos, Colorindo Brasília (o primeiro de uma coleção de 10 volumes da Coleção Patrimônio para Jovens, que tem por objetivo apresentar a história do Patrimônio de Brasília de modo didático e lúdico).(11)

Assim, encerramos essa biografia convidando você a conhecer mais sobre as obras desse compositor de espaços dotado de uma enorme multiplicidade criativa visitando e explorando o site da Fundação Athos.

Gostou? Consuma, comente, compartilhe!


REFERENCIAS

1) https://www.fundathos.org.br/athos-bulcao

2)https://www12.senado.leg.br/tv/programas/noticias-1/2018/07/athos-bulcao-ganha-homenagem-do-congresso-pela-passagem-de-cem-anos-de-nascimento

3) https://brasil.elpais.com/brasil/2018/07/02/politica/1530538166_965998.html

4) http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10076/arpad-szenes

5) https://brasil.elpais.com/brasil/2018/07/02/politica/1530538166_965998.html

6) https://www.fundathos.org.br/cronologia

7) http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10287/athos-bulcao

8) https://www.fundathos.org.br/cronologia

9) https://www.jornaltornado.pt/cem-anos-de-athos-bulcao-elegancia-a-brasileira/

10) https://casaclaudia.abril.com.br/design/athos-bulcao-homenageado-doodle-google/

11) https://www.archdaily.com.br/br/904530/vida-e-obra-de-athos-bulcao-viram-temas-de-livro-infantil

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo