• Marco Túlio Gazzola

Nair de Teffé



Nair de Teffé foi uma artista brasileira pioneira no gênero da caricatura. Nascida no Rio de Janeiro no final do século 19, filha de Antônio Luiz Von Hoonhultz ( um renomado oficial da Marinha brasileira) e de Maria Luísa Dodsworth (baronesa de Teffé) cresce num ambiente aristocrático brasileiro e francês, recebendo educação típica da classe alta.

Nair, apesar de pertencer a uma sociedade em que o papel da mulher restringia-se às obrigações do casamento e do lar, foge à regra, e incentivada por uma amiga lança-se na arte da caricatura usando com o nome artístico Rian. Nessa época, a imprensa brasileira passa por uma evolução. Surgem novas técnicas de impressão e novas formas de se comunicar com os leitores, demandando publicações ilustradas e de conteúdo variado. A caricatura, pela sua forma de expressão simples, critica e humorística, ganha destaque. A Revista Fon-Fon, uma das mais famosas da época, publica seus primeiros trabalhos.

Em1913, casou-se com o então presidente da República, o marechal Hermes da Fonseca. A partir daí, interrompeu sua produção de caricaturas, mas continuou destacando-se na vida cultural, social e política brasileira, incentivando inclusive as artes populares. Como primeira-dama numa época em que o violão, a cultura e música popular sofriam preconceito, indignou a alta sociedade ao promover eventos no Palácio do Catete em que esses elementos foram incentivados.

Após o fim do governo Hermes da Fonseca voltou para a Europa, retornando apenas em 1921. Aqui, participou da Semana de Arte Moderna e instalou-se em Petrópolis, onde fundou a Academia Petropolitana de Letras, sendo presidente até 1932. Nesse ano, mudou-se para o Rio de Janeiro e fundou o Cinema Rian. Somente após quase vinte depois, Nair volta a fazer caricaturas.

Em 1981, no dia de seu aniversário de 95 anos, faleceu a primeira caricaturista e a que permaneceu mais tempo na condição de ex-primeira dama na história brasileira, 67 anos.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo