• Raphael Uba de Faria

O Primeiro Campeão Nacional e o Maior Jejum da História

Em 1871, teve início a primeira grande competição de clubes de futebol de caráter nacional, a Copa da Inglaterra. Assim como todas as copas, ela é uma competição relativamente curta e caracterizada por confrontos eliminatórios. Quem perde, volta para casa. Quem sobrevive a todos os confrontos, é campeão. Desde sua origem, a Copa da Inglaterra foi um enorme sucesso e mostrou-se fundamental para o desenvolvimento do esporte. As ferrovias - há pouco instaladas no país - permitiram que times e torcedores se deslocassem com facilidade de uma cidade para a outra para, respectivamente, disputar e acompanhar os jogos, ajudando a consolidar a competição.

Passados alguns anos, surgiu a necessidade de profissionalizar o esporte, o que exigia, também, que o calendário futebolístico fosse preenchido com um torneio mais substancial. Foi então que, na temporada 1888-1889, a bola rolou pela primeira vez para a disputa do Campeonato Inglês, então chamado Football League, o primeiro campeonato nacional de futebol disputado no mundo. O torneio marcar uma revolução no esporte bretão. Diferentemente das copas, os campeonatos são marcados por uma série de confrontos em que todos os participantes se enfrentam. Na maioria das vezes, levanta o título aquele que se sai melhor no somatório de todos os confrontos. Em outros casos, após essa série de partidas, um número menor de times se classifica para uma fase final, que é disputada, assim como as copas, em partidas eliminatórias. O Campeonato Inglês, sempre foi disputado por pontos corridos e em turno e returno, ou seja, todos os clubes participantes se enfrentam duas vezes, uma vez como anfitrião e, outra, como visitante. Entretanto, tudo era novo. A ideia inicial era que o campeão fosse o clube que obtivesse mais vitórias. No meio do campeonato, mais precisamente, na décima segunda rodada, a organização mudou a regra e apresentou uma tabela de pontuação, que conferia dois pontos por vitória e um por empate, sistema que se manteve no futebol mundial por mais de cem anos!

A primeira temporada do Campeonato Inglês contou com 12 clubes: Accrington, Aston Villa, Blackburn Rovers, Bolton Wanderers, Brunely, Derby County, Everton, Notts County, Preston North End, Stoke (atual Stoke City), West Bromwich Albion e Wolverhampton. Como era a primeira edição, ninguém sabia ao certo qual time se sagraria campeão, até que um deles começou a se destacar: o Preston North End.

Fundado em 1862 como uma equipe de críquete na cidade de mesmo nome, o Preston só abriu as portas para o futebol dezoito anos depois, em 1880. Desde o início, foi um dos grandes defensores da profissionalização do esporte, até então, duramente combatida pela Football Association, entidade que instituiu as regras e que controla o futebol na Inglaterra desde 1863. Inclusive, por pagar seus atletas, o Preston foi eliminado da Copa da Inglaterra de 1882.

Passado o período de confronto, profissionalismo aceito e campeonato criado, o Preston aniquilou seus adversários! Com uma campanha incrível, os Lilywhites, como são conhecidos, conquistaram dezoito vitórias e quatro empates, obtendo 40 dos 44 pontos possíveis! Foram campeões invictos! Depois deles, seria preciso aguardar infindáveis 115 anos para que outra equipe, o Arsenal, fosse capaz de repetir o feito e terminar o campeonato sem sofrer qualquer derrota. Para aumentar a glória, o Preston conquistou, também, a Copa da Inglaterra de 1888-1889, batendo o Wolverhampton e sendo, obviamente, a primeira equipe a conquistar o que ficou conhecido no país como “double”, ou seja, os títulos das duas competições mais importantes do país na mesma temporada! As conquistas fizeram com que a equipe do noroeste da Inglaterra recebesse a alcunha de “os invencíveis”.


“Os invencíveis” do Preston North End da temporada 1888-1889.

Direitos de Imagem: Domínio Público

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:PrestonNorthEnd1888.jpg


Não satisfeito, o Preston renovou o título na temporada seguinte, 1889-1890, tornando-se, consequentemente, o primeiro bicampeão nacional (feito que seria igualado bem mais rapidamente, pelo Sunderland, nas temporadas 1891-1892 e 1892-1893). Nas três temporadas seguintes, os Lilywhites terminaram na segunda colocação, acompanhando, de muito perto, o primeiro título do Everton e os bicampeonato do Sunderland.

Então, o futebol do Preston North End começou a enfraquecer. Seriam necessárias mais treze temporadas até que mais uma campanha de destaque, o quarto vice-campeonato de sua história fosse conquistado, em 1905-1906, quando ficaram atrás do Liverpool. Outras dois resultados iguais viriam em 1952-53 (perdendo o título para o Arsenal) e em 1957-58 (temporada da segunda conquista nacional do Wolverhampton). Depois, mais nada...

Nada, no que diz respeito à primeira divisão do Campeonato Inglês. Em outras competições, alguns títulos vieram. Em 1937-1938, o Preston conquistou, pela segunda vez em sua história, a Copa da Inglaterra. Além disso, foi campeão da Segunda Divisão em 1903-1904, 1912-1913 e 1950-1951. Tornou- se, também, bicampeão da Terceira Divisão em 1970-71 e 1999-2000 (seu título mais recente) e campeão da Quarta Divisão em 1995-96.

Ainda assim, o jejum no Campeonato Inglês (chamado Premier League desde 1992-1993) permanece. Lá se vão 131 temporadas à espera do tricampeonato. Como em 2021-2022 o Preston disputa a Segunda Divisão, é certo que, ao menos mais duas temporadas completas serão necessárias para que o grito, a tanto entalado na garganta dos torcedores, seja liberado. Mas, isso, no melhor dos cenários, que, muito provavelmente, não é sonhado nem pelo mais fanático torcedor dos Lilywhites. O fato é que ninguém sabe quando ou mesmo se, um dia, o Preston North End colocará fim ao maior jejum da história do futebol mundial. Resta aguardar.


Escudo do Preston North End Football Club

Direitos de Imagem: Preston North End Football Club

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Preston_North_End_FC.png

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo